SWINGING LONDON E LONDRES DOS ANOS 60

 SWINGING LONDON E LONDRES DOS ANOS 60
 

Sabia que Londres foi referência de moda e cultura nos anos 60?

Durante a segunda metade da década de 60, a Inglaterra se tornou palco de uma efervescência cultural e de um modernismo de costumes, juntamente com a recuperação cultural e moral do país pós Segunda Guerra Mundial.

O termo “Swinging London” foi atribuído pela primeira vez pela editora chefe da revista Vogue americana, Diana Vreeland, declarando Londres como a cidade mais vibrante do mundo na época.

Foi durante essa década que Londres lançou ao mundo os mais importantes nomes da música, cinema, artes plásticas e teatrais e moda. Já imagina quais?

Nesta época também foi criada uma nova subcultura chamada de Modernists, ou simplesmente Mods. Os jovens resolveram que não queriam mais ouvir a música que os pais estavam ouvindo e começaram a ouvir a música produzida naquela época. O jazz mais moderno, que depois deu lugar ao Rhythm & Blues. Este movimento, junto com o Swinging London, serviu de pontapé pra grandes nomes da música.

Os Beatles foram o maior fenômeno inglês na música, seguidos pelos Rolling Stones, The Who, The Kings e Pink Floyd.

A Carnaby Street era a rua onde as lojas estavam sempre atualizadas seguindo as novas tendências da moda, logo, era ali que os integrantes das grandes bandas da época compravam suas roupas. Além disso, a rua também tinha fama por seus bares e lojas de discos.

O movimento reduziu em abril de 1966 quando a revista “Time” americana publicou uma matéria em que dizia muito sobre a Carnaby Street e seus frequentadores popstars. Com isso, os integrantes das bandas acabaram tendo que buscar outros pontos na cidade para realizarem suas compras. Mesmo com isso, a rua se tornou um ponto turístico muito visitado até hoje em dia.

Atualmente, o foco principal da rua é mesmo a moda, possuindo diversas marcas como Puma, Levi´s, Diesel e Replay. No entorno da rua é mais fácil de encontrar restaurantes, pub´s e lojas de discos.

A moda masculina de Londres dos anos 60 era composta roupas mais formais. Os paletós sem colarinho ganharam força com os Beatles. Além disso, as calças masculinas eram de cintura baixa e bem ajustadas, tecidos nobres, cores ousadas como vermelho e rosa, principalmente nas camisas. Também usavam japonas de pescador e cabelos mais compridos, combinadas a calçados de vinil.

Você se utiliza de peças nesse estilo atualmente? Consegue ousar nas cores dos seus looks?

Matéria redigida por Beatriz Kouzoukian.

Beatriz

Bem-vindo (a), tudo bem? Nessa sessão irei me apresentar e falar um pouquinho sobre o propósito desse blog! Sou a Beatriz Kouzoukian, mas podem me chamar de Bia. Tenho 20 anos e estudo moda na FAAP. Estou no 7° semestre do curso e não podemos negar que essa pandemia complicou um pouquinho as coisas né? Com o curso aprendi diversos aspectos e segmentos da moda, entre eles criação de roupas, calçados, jóias, acessórios. Além disso, aprendi muito sobre designs, história, fotografia, filmagem e tendências. A partir desse blog queremos lhe apresentar algo novo do que o que você encontra na internet no dia a dia… Que tal uma visão feminina sobre a moda masculina? Ou então sobre curiosidades do nosso dia-a-dia, lifestyle? Bom, espero que gostem e que consigamos nos conhecer um pouquinho mais! Obrigada, Bia.

Postagens Relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *